Qual hino será o "Carro Chefe" de nosso CD?

3 de jan de 2010

Buscando a Presença - 3ª Parte


Buscando a Presença - 3ª Parte
Por Nívea Soares

A Necessidade de Afirmação
Uma das falhas notórias no caráter de Saul era sua insegurança quanto ao conceito que as pessoas tinham dele. Saul parecia não crer que obedecer a Deus e crer nEle fosse o suficiente. Ele precisava desesperadamente da afirmação dos homens. Queria tanto ser alguém popularmente aceito, que acabou desobedecendo a Deus e perdendo sua dinastia. Sua insegurança o levou a ter um ciúme doentio de Davi, a ponto de tentar mata-lo por diversas vezes. O orgulho o levou a ruína.

No capitulo 13 de I Samuel, vemos a ocasião em que Saul oferece sacrifícios ao Senhor precipitadamente, sem esperar que Samuel chegasse. Saul sucumbiu à pressão de "perder a confiança do povo". O texto diz a partir do verso 11: "Então, disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinha nos dias aprazados (.) forcei-me e ofereci holocausto".

Outra ocasião em que Saul desobedeceu às ordens de Deus foi quando ele tomou despojos dos amalequitas. Eles e tudo o que possuíam deveriam ser totalmente destruídos, pois eram inimigos do povo de Israel. Samuel repreende Saul em nome do Senhor e Saul diz no verso 30 do capitulo 15: "Pequei, honra-me, porem, agora diante dos anciãos do meu povo e diante de Israel; e volta comigo, para que adore o Senhor, teu Deus". Saul estava muito preocupado com a opinião dos homens, e pouco interessado em ter comunhão verdadeira com Deus. Ele distorceu a ordem de Deus para agradar ao povo.

A necessidade de afirmação tem sido uma grande cilada nos nossos dias. Alguns homens e mulheres de Deus deixam de servir ao Senhor e começam a servir aos homens. O "mercado gospel" dita as ordens do que deve ser dito, pregado, cantado e vivido. O ponto principal na vida de alguns deixa de ser o centro da vontade de Deus, e passa apenas a vontade dos homens. Nos servimos a quem tememos. Se temermos ao Senhor serviremos ao Senhor.

Nenhum comentário: